ANÁLISE DE CUSTO NA AGROINDÚSTRIA

CADEIA PRODUTIVA DA AGROINDÚSTRIA ARTESANAL FAMILIAR RURAL

ANÁLISE DE CASO

Adolfo Brás Sunderhus[1]

Alessandra Soares Silva[2]

INTRODUÇÃO

A lógica da produção familiar está centrada na diversificação e integração de atividades vegetais, animais, de transformação dos produtos e de prestação de serviços. Neste víeis a agricultura familiar é um tema que vem conquistando seu espaço social, econômico e político por congregar um grupo de famílias que ocupa um lugar de destaque no processo de produção primária e de transformação de produtos através da agroindústria artesanal familiar rural oportunizando uma nova dinâmica na economia local, gerando importantes postos de trabalho, contribuindo para inclusão social no meio rural para a diversidade e pluralidade de novas atividades e cadeias produtivas com inclusão de gênero e geração resgatando e valorizando suas tradições costumes e valores tendo como objetivo viabilizar alternativas concretas que somadas a produção agrícola familiar permitem a médio e longo prazo apontar soluções para o enfrentamento da exclusão econômica a que foram submetidos os agricultores familiares.

METODOLOGIA E PROCEDIMENTOS

Entendemos a agroindústria artesanal familiar rural como uma infra-estrutura localizada no espaço rural, com função específica de processamento e/ou beneficiamento de produtos agropecuários de origem animal e/ou vegetal procedentes da unidade de produção familiar, cuja relação de trabalho tenha por prioridade o emprego da força de trabalho familiar proporcionando a geração de trabalho e renda.

Neste universo, a agroindústria artesanal familiar rural garante a manutenção de relações de produção dignas da racionalidade camponesa somada aos princípios de outra, similar a empresarial, ao ajustar-se às lógicas de mercado principalmente quanto aos processos de gestão e de comercialização e de legislação especifica de acordo com suas realidades.

O estudo do caso da agroindústria artesanal familiar rural foi realizado na comunidade rural de Boa Vista no Município de Cariacica tendo como objetivo a caracterização e análise do custo de produção e formação de preço da cadeia produtiva de produção de massas salgadas caracterizando-se conforme abaixo.

ANÁLISE DOS CUSTOS OPERACIONAIS DA AGROINDÚSTRIA

SITUAÇÃO ENCONTRADA

1-        DADOS DA ATIVIDADE PRODUTIVA

1.1- Atividade produtiva: Agroindústria Artesanal Familiar Rural

1.2- Natureza da Atividade Produtiva: Produção de Massas e Salgados

1.3- Tipo de Pessoa Jurídica: Informal

1.4- Tempo de Trabalho nesta atividade: 10 anos

1.5- Total de Pessoas Envolvidas na Atividade: 01 pessoa

1.6- Total de Pessoas da Família Envolvida na Atividade: 01 pessoa

1.7- Necessidade de mão-de-obra eventual: 01 pessoa diarista

1.8- Caracterização: Agricultora Familiar

1.9- Área Total da Unidade de Produção Familiar: 04 hectares em regime de comodato

1.10-         Localização: Comunidade de Boa Vista

1.11-         Município: Cariacica – ES

1.12-         Participa de alguma Organização Social e Produtiva: Sim. Associação dos Produtores de Boa Vista – APROVISTA

1.13-         Participa de algum processo de comercialização de natureza coletiva e organizado: Sim. Feira Agroecologica promovida pela Prefeitura Municipal de Cariacica todos os sábados.

1.14-         Natureza da Agroindústria: Construção própria em uma área de 35 m² em alvenaria e possui alvará sanitário

  1. 2.       DADOS RELATIVOS A MÃO DE OBRA

2.1- Nº de dias trabalhados: 05 dias por semana / 22 dias por mês

2.2- Produção Obtida: 10 kg / dia

2.3- Quantia de horas trabalhadas por dia: 13 horas com 01 hora de intervalo

3-        CUSTOS VARIAVIES

3.1-Os custos variáveis para produção de massas e salgados apresentado consta de: trigo, margarina, fermento e água.

3.2-O trabalho foi realizado no dia 24/05/2010 bem como nesta data foram definidos os preços dos produtos que fazem parte desta amostragem.

3.3-Como indicativo após esta amostragem e levantamento dos preços temo um Custo Variável Total da ordem de R$ 98,62 oportunizando um custo unitário da ordem de R$ 0,45

4- CUSTOS FIXOS

4.1- O levantamento dos custos fixos nos aponta os seguintes elementos: energia, água, mão-de-obra contratada/diarista, sacolas de polipropileno de 200 gramas, etiquetas e despesas com transporte;

4.2-Como indicativo temos um custo fixo da ordem de R$ 440,40 o que nos oportuniza um custo unitário da ordem de R$ 2,02

5- DADOS COMPLEMENTARES

5.1- O custo mensal de energia após levantamento foi dimensionado da seguinte forma: 70% do total sendo consumido pela agroindústria e 30% pelas despesas inerentes as família.

5.2- Assim de um custo total de R$ 200,00/mês cabe a agroindústria um total de R$ 140,00/mês.

5.3- Em relação a mão de obra contratada a mesma trabalha 08 dias no mês a um valor diária da ordem de R$ 25,00.

6- CÁLCULOS DE PREÇOS

6.1- Custo Variável: R$ 0,45 / kg produzido

6.2- Custo Fixo: R$ 2,02 / kg produzido

6.3- Custo Total: R$ 2,47 / kg produzido

6.4- O levantamento nos um elemento de despesa referente a comissão de venda da ordem de 20% comprometendo um custo da ordem de R$ 0,50 / kg produzido.

6.7- Conclusão:

6.7.1- A partir destes dados levantados de acordo com a realidade da agroindústria temos um custo final do produto da ordem de R$ 2,97 / kg produzido.

6.7.2- Outro dado levantado foi o de que a produtora pratica um preço de venda da ordem de R$ 10,00 / kg do produto.

7- ESTIMATIVA DE PRODUÇÃO E RECEITA ANUAL

7.1-Considerando o preço de venda da ordem de R$ 10,00 / kg do produto;

7.2- Considerando que a produção de 220 kg / mês e obtida no período de abril a novembro e que no período de dezembro a março esta produção tem uma queda da ordem de 50%;

7.3- Conclusão:

7.3.1- Estimamos uma receita anual da ordem de R$ 22.000,00

7.3.2- Estimamos um custo anual de R$ 6.468,24

7.3.3- Estimamos uma receita líquida anual da ordem de R$ 15.531,76

ANÁLISE

  • Ao fazermos uma análise a partir dos dados levantados junto à produtora temos a informação de que a atividade apresenta um lucro anual elevado tornando-a altamente competitiva no mercado dando uma excelente projeção economia e social a esta cadeia produtiva da agroindústria familiar artesanal rural.
  • No entanto podemos evidenciar que a produtora não contabilizou alguns dados de natureza econômica que são importantes para uma análise mais detalhada do custo de produção unitário e da rentabilidade o que mascara o lucro final obtido como:

1-                  Remuneração da mão – de – obra da produtora;

2-                  Retirada mensal da produtora;

3-                  Impostos decorrentes legais inerentes à atividade;

4-                  Juros incidentes sobre os custos variáveis e fixos da atividade como rentabilidade econômica no mercado;

5-                  Margem de lucro desejado;

6-                  Percentual destinado à manutenção familiar;

7-                  Percentual destinado a aplicações na atividade para custeio e investimento.

ANÁLISE DO CUSTO DE PRODUÇÃO E RENTABILIDADE DA ATIVIDADE

SITUAÇÃO PROJETADA

1-                 DADOS DA ATIVIDADE PRODUTIVA

1.1- Atividade produtiva: Agroindústria Artesanal Familiar Rural

1.2- Natureza da Atividade Produtiva: Produção de Massas e Salgados

1.3- Tipo de Pessoa Jurídica: Informal

1.4- Tempo de Trabalho nesta atividade: 10 anos

1.5- Total de Pessoas Envolvidas na Atividade: 01 pessoa

1.6- Total de Pessoas da Família Envolvida na Atividade: 01 pessoa

1.7- Necessidade de mão-de-obra eventual: 01 pessoa diarista

1.8- Caracterização: Agricultora Familiar

1.9- Área Total da Unidade de Produção Familiar: 04 hectares em regime de comodato

1.10-         Localização: Comunidade de Boa Vista

1.11-         Município: Cariacica – ES

1.12-         Participa de alguma Organização Social e Produtiva: Sim. Associação dos Produtores de Boa Vista – APROVISTA

1.13-         Participa de algum processo de comercialização de natureza coletiva e organizado: Sim. Feira Agroecologica promovida pela Prefeitura Municipal de Cariacica todos os sábados.

1.14-         Natureza da Agroindústria: Construção própria em uma área de 35 m² em alvenaria e possui alvará sanitário

  1. 2.       DADOS RELATIVOS A MÃO DE OBRA

2.1-Nº de dias trabalhados: 05 dias por semana / 22 dias por mês

2.2-Produção Obtida: 10 kg / dia

2.3-Quantia de horas trabalhadas por dia: 13 horas com 01 hora de intervalo

4-        CUSTOS VARIAVIES

3.1-Os custos variáveis para produção de massas e salgados apresentado consta de: trigo, margarina, fermento e água.

3.2-O trabalho foi realizado no dia 24/05/2010 bem como nesta data foram definidos os preços dos produtos que fazem parte desta amostragem.

3.3-Como indicativo após esta amostragem e levantamento dos preços temo um Custo Variável Total da ordem de R$ 98,62 oportunizando um custo unitário da ordem de R$ 0,45

5- CUSTOS FIXOS

5.1- A partir deste ponto passamos a incluir alguns parâmetros que julgamos importantes na construção do processo de encaminhamento da gestão financeira e controle de custo e lucro na unidade produtiva da agroindústria artesanal familiar rural em análise;

5.2- Os custos fixos definidos foram: energia, água, mão-de-obra contratada, sacolas de polipropileno, etiquetas sendo que até este ponto estão identificados na etapa anterior

5.3- Os acréscimos a análise de custos foram com retirada da produtora; despesas com transporte e definição do custo da mão-de-obra da produtora pois ela além de gestora do negócio e também trabalhadora diária em todo o processo de produção sendo este valor definido pela produtora como sendo da ordem de 50% do custo fixo.

5.4- Assim chegamos a um valor do custo fixo da ordem de R$ 1.566,60 ou de R$ 7,12 por unidade produzida.

5.5- Forma considerados inalterados os itens de custo referente a energia e da mão-de-obra contratada

5.6- Neste sentido o preço de venda passa a ser formado da seguinte forma:

5.6.1- Custo variável: R$ 0,45 / kg produzido

5.6.2- Custo fixo: R$ 7,12 / kg produzido

5.6.3- Custo total: R$ 7,57 / kg produzido

5.6.4-Inserem-se nesta composição os seguintes custos presumidos:

5.6.4.1- ICMS na ordem de 17% oportunizando um custo da ordem de R$ 1,29 / kg produzido

5.6.4.2- Comissão do vendedor da ordem de 20% oportunizando um custo da ordem de R$ 1,51 / kg produzido

5.6.4.3- A produtora define como margem de lucro um percentual da ordem de 50 % oportunizando um custo de R$ 3,11 / kg produzido

5.6.4.4- Estima-se uma margem de aplicação no mercado da ordem de 6% o que oportuniza um valor da ordem de R$ 0,45 / kg produzido

5.6.4.5- Estima-se uma manutenção familiar proveniente a atividade da ordem de 20% oportunizando um valor da ordem de R$ 1,51

5.6.4.6- Foi considerado um percentual da ordem de 30% para custeio e investimento da atividade o que oportuniza um valor da ordem de R$ 0,19 / kg produzido para cada um destes itens

5.6.4.7- A produtora define ainda um lucro esperado da ordem de 30% o que oportuniza um valor da ordem de R$ 2,27 / kg produzido

5.6.4.8- Conclusão: estima-se um custo total da ordem de R$ 14,99 / kg produzido

6- ESTIMATIVA DE PRODUÇÃO E RECEITA ANUAL

6.1-Considerando o preço de venda da ordem de R$ 14,99 / kg do produto;

6.2- Considerando que a produção de 220 kg / mês e obtida no período de abril a novembro e que no período de dezembro a março esta produção tem uma queda da ordem de 50%;

6.3- Conclusão:

6.3.1- Estimamos uma receita anual da ordem de R$ 32.978,00

7.3.2- Estimamos um custo anual de R$ 19.982,64

7.3.3- Estimamos uma receita líquida anual da ordem de R$ 12.995,36

CONCLUSÃO

A atividade agroindústria artesanal familiar rural e os agricultores familiares carecem de ferramentas ágeis e eficientes de gestão, de apoio à decisão e de suporte ao seu negócio. A resposta pode ser encontrada num enfoque simplificado de contabilidade gerencial através dos controles e acompanhamentos internos, atingindo visões sobre seus produtos no mercado e sobre as tendências de cenários que possam afetar as decisões estratégicas, sobretudo as de análise de custo e formação de preço que têm enfoque determinante no processo de comercialização para obter lucro.

A primeira conclusão é a de que o processo de agroindústria familiar artesanal rural surge inicialmente do conhecimento e das necessidades dos agricultores de se alimentarem e conservarem por mais tempo e com qualidade alimentar os seus produtos. Esse processo tem na cultura e saber dos agricultores familiares os conhecimentos e as técnicas de produção dos alimentos processados que são baseadas na produção e no consumo próprio dos seus alimentos, tanto in natura como processados sendo, portanto uma estratégia de reprodução social muito importante para os agricultores familiares da comunidade de Boa Vista, do ponto de vista econômico, social e produtivo.

Do lado econômico e produtivo é um forte agregador de geração de renda e de emprego para os agricultores familiares que a praticam muitas vezes maior que as demais atividades agropecuárias. Isso reafirma a agroindústria artesanal familiar rural como uma estratégia econômica e produtiva consistente de reprodução social das famílias e a coloca no centro do debate das políticas públicas como uma estratégia de desenvolvimento sustentável a médio e longo prazo para os espaços rurais do município.

De outro lado, esta atividade gerando renda, empregos e ocupações junto à população rural do município ajuda a sustar os fluxos migratórios das comunidades cumprindo assim um importante papel social, o qual seja o de gerar oportunidade ao homem, a mulher e ao jovem no espaço rural trabalhando, produzindo alimentos e vivendo com dignidade. Neste víeis agroindústria artesanal familiar rural associada aos conceitos e fundamentos de gestão e custos de produção pode ser fomentada como uma importante estratégia para reverter às conseqüências socioeconômicas da modernização conservadora na agricultura, e a participação dos agricultores familiares se torna um processo natural, uma vez que sua própria história, sua cultura passa a ser valorizada.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
  • BRASIL, Programa de agro industrialização da produção dos agricultores familiares
2003/2006: Documento Referencial. Brasília, Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2003.
  • ICEPA/SC, Perspectiva para a agricultura familiar – Horizonte 2010. Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural e da Agricultura. Florianópolis, 2002.
  • MOREIRA, Roberto J. Agricultura familiar: processos sociais e competitividade. Rio de
Janeiro: Mauad; Seropédica: UFRRJ, 1999
  • BRDE. Redes de agroindústrias de pequeno porte: experiências de Santa Catarina. Florianópolis – SC: Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, Gerência de Planejamento de Florianópolis, 154p., 2004.
  • OLIVERIA, J. A. V. et all. Avaliação do potencial da indústria rural de pequeno porte (IRPP) em Santa Catarina. Florianópolis: CEPAGRO. 75p., 1999.
  • CONGRESSO INTERNACIONAL DE CUSTOS, IX.. Florianópolis, 2005.

[1] Engenheiro agrônomo
CREA – ES 2146 D / 11ª
Graduação em Agronomia – UFES, Alegre – ES, Brasil
ÁREAS DE ATUAÇÃO
1-       Organização Social e Redes Solidárias
2-       Microfinanças sociais
3-       Análise de Cadeias Produtivas
4-       Custo de Produção dos Arranjos Produtivos Locais
5-       Projetos Captação de Recursos – Agropecuária
[2] Cursando Administração de Empresas
ÁREAS DE ATUAÇÃO
1-       Coordenação de inspeção municipal
2-       Organização social
3-       Cadeias produtivas
4-       Agroindústrias familiares
About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s