O “NOVO CÓDIGO FLORESTAL” – CRIME ORGANIZADO CONTRA VIDA DO ESCOSSISTEMA!

O NOVO CÓDIGO FLORESTAL

CRIME LEGALMENTE CONSTITUIDO É ORGANIZADO CONTRA A VIDA DO ECOSSISTEMA E DOS AMBIENTES PRODUTIVOS NO ESTADO

SUNDERHUS; Adolfo Brás[1]

A proposta do “novo” código florestal e uma afronta a toda sociedade plural e diversa do país. Sobretudo ao nosso Estado que possui uma das mais ricas reservas de Mata Atlântica do país. Mais uma vez os “senhores legisladores” entendem que sua decisão e o que a sociedade pede. Esqueceram-se que a sociedade pede menos enchentes e o código florestal propõe o contrário, pois permite abusos de toda ordem contra os cidadãos e contra vida favorecendo a implantação moradias em locais que deveriam ser de preservação permanente estabelecendo assim o “lava mãos” do poder público. Haja dinheiro do cidadão para cobrir calamidades provocadas por enchentes e deslizamentos de terra agora pelo novo código florestal legalizada. E legalizar a morte certa de cidadãos.

A sociedade pede um ambiente de produção em equilíbrio com produção que expressa vida. O novo código florestal trás de forma velada mais muito clara a proposta de manter a venda de agressivos químicos – venenos e adubos solúveis a serem colocados nos grãos frutas e verduras, pois a proposta e justamente diminuir as áreas de proteção natural que os agricultores familiares e camponeses tanto preservaram para atender as propostas de um latifúndio concentrador de renda e poder neste país, de empresas que exploram o solo com grandes e milhares de extensões de terra com monocultura do eucalipto como aqui no Estado e das multinacionais produtores de agrotóxicos (venenos).

O “novo” código florestal vai contra todas as observações cientificas e criticas de Darwin em sua teoria e seus estudos sobre a evolução das espécies. “E se hoje Darwin estivesse aqui entre nós e pudesse ver o que os seres humanos estão fazendo com a floresta certamente ele escreveria, com paixão, sobre a necessidade de avaliar o que o homem está fazendo com a Amazônia, levando em consideração a delicadeza desse ecossistema e antes que se destruam tudo o que a natureza nos presenteou”, afirmou. Randal Keynes, tataraneto de Charles Darwin. E o que esta propondo o novo código florestal. Para Amazônia e para o nosso Estado.

Enfim dizer desta forma e difícil, mas fica o sentimento de que a aprovação do novo código florestal será um verdadeiro ESTUPRO a todo trabalho de educação ambiental e de formação de cidadãos comprometidos com o meio ambiente realizado por gestores públicos e pelo conjunto das organizações sociais comprometidas com o meio ambiente e com a sustentabilidade do ser humano. Assim como cidadão agrônomo e educador ambiental penso que estes legisladores devam parar com a hipocrisia de aparecerem nas escolas no dia da árvore plantando uma árvore. Do que adianta  esta atitude se virando as costas ao invés de proporem medidas e ações sobre a importância de sistemas produtivos com base agroecologia, natural ou orgânica legislam para destruírem o meio ambiente que e o único capaz de manter a biodiversidade e o equilíbrio natural que e o principio para uma produção sem veneno e adubos químicos. E o único capaz de manter a vida com sustentabilidade.

E um desabafo. Sim. E sim. Um desabafo de um cidadão de um agrônomo que sempre esteve presente nos processos de formação e educação ambiental do estado como servidor público e como cidadão, e não separo um do outro. E um desabafo consciente que minha formação cristã. Quero acreditar e ter a crença de que quem esta ao lado dos agricultores familiares dará uma resposta de não aceitação desta verdadeira aberração que é o “novo” código florestal.

Fala-se muito nas vidas humanas que são tiradas dia a dia. Uma manchete assustadora nos jornais após a Festa da Penha um simbolismo cristão e de vida para o nosso Estado: ”Nem mesmo a festa da padroeira do Espírito Santo foi suficiente para reduzir o derramamento de sangue no Estado”. Pois então. Então, já que “todos” acreditam que o meio ambiente e um corpo vivo com funções e proposta para manter a vida fica a pergunta: quantas vidas serão tiradas pelo “novo” código florestal. Fica no entendimento e na crença de cada um.


[1] Engenheiro agrônomo

CREA – ES 2146 D / 11ª Região

Graduação em Agronomia – UFES, Alegre – ES, Brasil

ÁREAS DE ATUAÇÃO

1-         Organização Social e Redes Solidárias

2-         Microfinanças sociais

3-         Análise de Cadeias Produtivas

4-         Custo de Produção dos Arranjos Produtivos Locais

5-         Projetos Captação de Recursos – Agropecuária

6-         Projetos de Recuperação Ambiental

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s