CALDA VIÇOSA – AÇÃO FUNGICIDA

ORIENTAÇÕES E TÉCNICAS DE PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL

CALDAS ECOLÓGICAS

CALDA VIÇOSA – AÇÃO FUNGICIDA

SUNDERHUS; Adolfo Brás[1]

É uma alternativa para o controle de doenças de plantas. Age também como adubo foliar e tem como base a Calda bordalesa, enriquecida com sais minerais, destacando-se o cobre, zinco, magnésio, boro e nitrogênio.

A composição básica para a preparação de 10 litros de Calda Viçosa é:

  • 50 gramas de sulfato de cobre
  • 10 a 20 gramas de sulfato de zinco
  • 80 gramas de sulfato de magnésio
  • 10 a 20 gramas de ácido bórico
  • 40 gramas de uréia
  • 75 gramas de cal hidratada

Observação – A cal é a mesma que se utiliza para pintura de paredes, desde que seja nova. Os sais minerais não podem estar úmidos.

A preparação deve ser seguida dos seguintes cuidados:

  • Colocar metade da água num recipiente e nele preparar a água de cal.
  • Colocar a outra metade em outro recipiente e dissolver os sais minerais.
  • No terceiro recipiente, colocar o volume de água de cal já preparada, correspondente à metade do volume desejado da calda.
  • Lançar aos poucos, sobre a água de cal a solução de sais, sob constante agitação.

A calda assim preparada, fica com o pH entre 7,5 e 8,5 (usar papel indicador de pH) apresentando uma coloração azul característica. Usar recipientes de plástico, amianto, madeira ou alvenaria que não são atacados pelos sais.

Preparar a quantidade que vai ser utilizada no mesmo dia. Não guardar sobras.

RECOMENDAÇÕES DE USO

  • A calda Viçosa é indicada para as culturas de: figo, uva, laranja, pêra, maçã, banana, maracujá e goiaba.
  • Para a cultura da banana deve-se acrescentar 30 gramas de cloreto de potássio para cada 10 litros da calda.
  • A calda não tem ação curativa, por isto deve ser aplicada preventivamente.

TÉCNICAS DE APLICAÇÃO 

Fazer a aplicação das caldas imediatamente após o seu preparo. Durante a pulverização, é indispensável que o tanque contendo a Calda Viçosa tenha agitação contínua. A aplicação deve ser sempre feita com tempo bom, sem chuvas. A calda oferece riscos de fitotoxicidade quando aplicada com tempo chuvoso (garoa ou chuvas), estando às folhas molhadas.

A aplicação da Calda Viçosa deve ser feita com pulverização em alta pressão, acima de 150 libras, pois permite a formação de uma finíssima camada de proteção sobre tecidos vegetais, tornando desfavorável a instalação e desenvolvimento da doença.

Pulverizar o trator com óleo de mamona, ou com a mistura de graxa + óleo lubrificante lavando com sabão ou detergente após o seu uso. Pode ser também pulverizado com a mistura de óleo diesel + óleo lubrificante e lavado com jato de água após seu uso.

As peças do equipamento devem ser lavadas com solução de vinagre ou suco de limão ou ácido cítrico a 20%. Usar os equipamentos de proteção individual recomendados para os demais defensivos agrícolas.

IMPORTANTE

A condição climática ideal para o tratamento com as caldas é: Temperatura de 25 a 30ºC e a umidade relativa acima de 65%.


[1] Engenheiro agrônomo
CREA – ES 2146 D / 11ª Região
Graduação em Agronomia – UFES, Alegre – ES, Brasil
ÁREAS DE ATUAÇÃO
1-         Organização Social e Redes Solidárias
2-         Microfinanças sociais
3-         Análise de Cadeias Produtivas
4-         Custo de Produção dos Arranjos Produtivos Locais
5-         Projetos Captação de Recursos – Agropecuária
6-         Projetos de Recuperação Ambiental

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s