UMA NOVA POSTURA PARA SUSTENTABILIDADE DA UNIDADE DE PRODUÇÃO FAMILIAR

QUALIFICAÇÃO MUDANDO O PARADIGMA RURAL

SUNDERHUS; Adolfo Brás[1]

Todo processo de qualificação profissional no meio rural visa além de melhorar o desempenho fornecer ao agricultor familiar a condição que ele precisa para participar, de maneira mais eficaz, na consolidação da sua unidade de produção enquanto meio social, produtivo, econômico e ambiental. Assim o objetivo específico é capacitar-los para responderem aos desafios – quer seja na esfera pessoal – ligado ao ego, ou profissional – ligada à tarefa diária, que o espaço rural do mundo moderno coloca diante de todas as pessoas ligadas à unidade de produção familiar e campesina.

A área rural tem uma importante missão do ponto de vista empresarial. Vamos esclarecer esse ponto: missão significa aquilo que toda e qualquer unidade de produção familiar rural se propõem a fazer para garantir a sua sobrevivência e sustentabilidade social, produtiva, econômica e ambiental. Neste víeis a missão precisa ser estabelecida em conformidade com as atividades produtivas e serviços que coloca à disposição de seu público alvo – consumidores rurais e urbanos. Vejamos um exemplo: “SITIO DA ESPERANÇA” – tem a missão de produzir alimentos saudáveis dentro de uma matriz de produção agroecologica garantindo sustentabilidade e segurança alimentar aos seus consumidores. Uma grande missão! Toda organização, no caso a unidade de produção familiar precisa, ao pensar e escrever sua missão, contemplar tudo que seja de vital importância à sua sobrevivência e sustentabilidade.

Uma vez estabelecida à missão, a unidade de produção familiar precisa preparar o que ela tem de maior valor que é o seu capital humano – no caso especifico a mão-de-obra familiar. Nesse aspecto as ações empreendidas pelas unidades de produção familiar para melhorar o desempenho, a eficiência, a eficácia e a qualidade de sua mão-de-obra estão estruturadas de forma a fazer com que esta desempenhe de forma cada vez melhor, as tarefas que fazem parte de suas lida diária.

A qualificação desta mão-de-obra tem como objetivo proporcionar uma visão geral da unidade de produção em conformidade com sua missão, metas e planos de trabalho, bem como de sua estrutura organizacional social produtiva e familiar além de sua preparação para executar de forma mais eficaz, as tarefas diárias que estão sobre sua responsabilidade. Outro fator de elevada importância nos processos de qualificação são aqueles voltados especificamente para a identificação de talentos e das potencialidades.  Desta forma as unidades de produção familiares estarão preparadas para desenvolver suas atividades produtivas com um olhar mais critico e atento as ameaças e oportunidades para sua sustentabilidade social, produtiva, econômica e ambiental.

O processo de qualificação dos agricultores familiares passa neste víeis por um foco de modernidade envolvendo a todos que fazem parte da gestão da unidade de produção familiar o que levará a implantação do hábito de estabelecer de forma participativa a discussão dos problemas em todos os seus níveis de relação familiar, uma vez que o mais importante na relação de gestão e de execução das tarefas diárias é a família rural em sua essência de cidadão – aquele que irá, segundo seus princípios, anseios, desejos, valores e saberes, dar sua identidade às tarefas, ou seja, cada indivíduo empresta à tarefa um pouco de suas características pessoais – personalidade e a soma destes padrões de qualidade diferenciados será o corpo único da unidade de produção familiar.

Desta forma todos os envolvidos nas atividades diárias da diversidade de culturas e serviços exercitaram o desenvolvimento rural sustentável local, pois estarão discutindo a realização destas tarefas, seus compromissos com a unidade produtiva, seu grau de participação nas decisões de gestão e sua atualização constante com as tendências que o rural e o urbano moderno está impondo a unidade familiar de produção que estará experimentando uma mudança não na sua conduta, mas sim na habilidade de perceber os pontos chaves de determinadas tarefas e responsabilidades. Para que a unidade de produção familiar se aproprie desta nova visão de sustentabilidade e necessário que a família rural que esteja disposta a mudar e a perceber que a mudança é importante para suas atividades produtivas e o mais importante, que todos participem da elaboração e discussão das ações que vão proporcionar esta mudança.

Finalizando, o que mudar na postura da família rural? Mudar é propiciar situações em que as ações criativas de todos possam fazer parte integrante das ações no dia-a-dia de trabalho na unidade de produção familiar. Trabalhar de forma eficaz com qualidade é descobrir, a cada momento, o que fazer para tornar o trabalho do conjunto familiar mais criativo, mais ajustado às necessidades da unidade de produção em suas atividades e dos anseios dos nossos clientes e consumidores rurais e urbanos.


[1] Engenheiro agrônomo
CREA – ES 2146 D / 11ª Região
Graduação em Agronomia – UFES, Alegre – ES, Brasil
ÁREAS DE ATUAÇÃO
1-         Organização Social e Redes Solidárias
2-         Microfinanças sociais
3-         Análise de Cadeias Produtivas
4-         Custo de Produção dos Arranjos Produtivos Locais
5-         Projetos Captação de Recursos – Agropecuária
6-         Projetos de Recuperação Ambiental

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s