DESENVOLVIMENTO COM RESPONSABILIDADE SOCIAL

A RESPONSABILIDADE SOCIAL PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

SUNDERHUS; Adolfo Brás[1]

As transformações sociais, produtivas, econômicas, ambientais e políticas experimentadas e vividas nos últimos 20 anos do século XX e nesta primeira década do século XXI, têm afetado profundamente o comportamento de grupos sociais, gestores públicos e empresas privadas acostumadas às tomadas de decisões de forma individualizada e de pura e exclusiva maximização do lucro.

A idéia de responsabilidade social e relativamente recente em nossas discussões. A transformação social, produtiva, econômica e política vivida pela sociedade na década de 80 do século XX e com a instalação de um governo popular e democrático no Brasil em 2003 naturalmente vêm o surgimento de novas demandas e maior pressão por transparência nos setores públicos, privados e das organizações de representação social, que passaram a adotar uma postura de maior responsabilidade e comprometimento social em seu planejamento e em suas ações. O Estado do Espírito Santo não fugiu a esta regra.

No entanto por ainda ser uma cultura em construção muitos ainda confundem a responsabilidade social com filantropia – doações. E necessário, portanto vencermos este paradigma arcaico para a qual destacamos abaixo pontos importantes a serem observados na concepção de políticas públicas de desenvolvimento com responsabilidade social que permitam a inclusão produtiva com geração de trabalho e renda, inclusão social e pleno exercício de cidadania garantindo qualidade de vida e vida com qualidade a todos os cidadãos, em especial aqueles em situação de maior vulnerabilidade social econômica e produtiva.

NATUREZA PLURAL NAS POLÍTICAS PÚBLICAS – neste contexto governo, iniciativa privada e as organizações de representação social não devem satisfações apenas aos seus comuns, e sim a todos os atores sociais, aos veículos de divulgação e informação, ao setor não-governamental e ambiental e às comunidades com que se relacionam ou representam. Destacamos a necessidade do constante exercício do diálogo de natureza participativo como o elemento central de uma mudança de paradigma e de comportamento social e econômico com objetivo de maior representatividade e legitimidade.

NATUREZA DISTRIBUTIVA COM IGUALDADE neste víeis a responsabilidade social é um conceito que se aplica a toda a cadeia social e produtiva. O produto final seja de uma empresa, do gestor público ou das organizações de representação social deve ser avaliado por suas relações e interações com os fatores humanos, ambientais, sociais e de natureza política e pública, difundindo o conceito de interesse comum ao longo de todo processo social e produtivo.

NATUREZA SUSTENTÁVEL E RESPONSÁVEL – a responsabilidade social é um tema que deve andar de mãos dadas com o conceito de desenvolvimento sustentável. As tomadas de atitudes com determinação responsável em relação ao ambiente e à sociedade buscam garantir a não escassez de recursos, ampliando o conceito da sustentabilidade duradoura dos recursos às gerações que viram. Para alcançarmos este desenvolvimento sustentável e duradouro precisamos ter um viés no fortalecimento de parcerias envolvendo a iniciativa privada, poder público e sociedade civil organizada promovendo a identidade e o sentido de pertencimento que leva ao crescimento orientado na vertente da sustentabilidade do sistema produtivo e da qualidade de vida.

NATUREZA TRANSPARENTE DA POLÍTICA PÚBLICA – os processos de desenvolvimento que hoje se estabelece sejam de natureza pública, privada ou pelas organizações de representação social tem um forte apelo pela transparência do planejamento e das ações. Todos estão cada vez mais sendo chamados a adotar a iniciativa de divulgar seu desempenho social e ambiental e sua política, bem como os impactos de suas atividades e as medidas tomadas para prevenção ou compensação de acidentes. Assim publicizar relatórios que permitam o acompanhamento e avaliação social tornam-se cada vez mais necessários e com maior freqüência, onde o desempenho é aferido nas mais diferentes modalidades possíveis, e não somente na visão da produção e da economia, pela geração e acumulo de capital financeiro e de poder. Esta responsabilidade não pode ser em caráter voluntário, tem que estar previstos em seu planejamento que relatórios sócio-ambientais serão os elementos norteadores e balizadores para construção de um futuro mais humanizado, de equidade, de igualdade e justiça social, econômica, política e ambiental.

Para alcançarmos o desenvolvimento sustentável com responsabilidade social devemos entender que o processo econômico e parte integrante a ativa da sociedade e que para tal seus fundamentos e princípios precisam ser entendidos para que possamos nortear o caminho para o desenvolvimento sustentável e duradouro das gerações, tendo como foco a responsabilidade social e ambiental.

Neste sentido e importante termos a compreensão e o entendimento claro de alguns conceitos, dentre os quais destacamos:

CRESCIMENTO ECONÔMICO – é o aumento da capacidade produtiva da economia e, portanto, da produção de bens e serviços de determinado país ou área econômica. É definido basicamente pelo índice de crescimento anual do Produto Nacional Bruto – PNB.

DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO – e o crescimento econômico (aumento do PNB) acompanhado pela melhoria do padrão de vida da população e por alterações na estrutura de sua economia.

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL – é o desenvolvimento de uma empresa, ramo industrial, comunidade, região, estado ou país, e que em seu processo não esgota os recursos que consome nem danifica o meio ambiente de forma a comprometer o desenvolvimento dessa atividade no futuro e da sociedade.

 

Neste entendimento o conceito de sustentabilidade nos permite uma dimensão mais ampla e que extrapola esta visão egoísta dos que faturam com a ciranda e especulação financeira e do trabalho, com a dança mesquinha das taxas de juros e do câmbio. Implanta-se na alma e não no bolso. Tem a ver com compromisso e com o comprometimento para uma mudança de paradigmas não com investimentos de natureza financeira.

O desenvolvimento social encarado enquanto responsabilidade social tem a ver com o comprometimento dos envolvidos – setor público, iniciativa privada e das organizações sociais com a redução da pobreza, com os direitos das crianças, dos adolescentes, dos idosos, das pessoas com deficiência, das comunidades tradicionais, em especial com o acesso à educação e ao trabalho, com a solidariedade e com o respeito à diversidade, a pluralidade social, a liberdade de expressão, a cultura e aos valores individuais e coletivos.

Dentro destes conceitos uma potencialidade pode se transformar em uma oportunidade real quando submetida a um conjunto de exigências sociais, incentivos fiscais e financeiros, avaliação econômica mantendo ou ampliando sua identidade ou apelo para estimular uma decisão de investimento em uma determinada atividade produtiva agregando valor econômico, social e cultural. Este fato fica muito evidente quando tomamos como exemplo a produção primaria do mundo rural com uma “roupa nova” chamada de agro turismo e da agro indústria artesanal familiar que através de programas e incentivos de natureza pública associados a uma cultura e tradição local e a qualificação profissional impulsionaram uma complexa cadeia produtiva que permitiu agregação de renda, geração de emprego e trabalho,  inclusão social, econômica e produtiva, em especial da mulher rural.

Assim promover o desenvolvimento local sustentável significa articular:

  • A dinamização do crescimento econômico;
  • A valorização e o crescimento do capital humano e social;
  • O uso sustentável do capital natural;
  • Sustentabilidade da atividade produtiva e de seus protagonistas sociais, de natureza individual e coletiva.

Neste víeis entendemos que a responsabilidade social e produtiva visa ampliar as discussões e o comprometimento do gestor público, da iniciativa privada e das organizações de representação social, oferecendo as reais condições que permitam o fortalecimento e o crescimento de uma determinada atividade produtiva com apelo social considerando os limites de suas características com objetivo de geração de emprego, trabalho e renda.

De forma didática evidenciamos as premissas que norteiam a responsabilidade social:

  • E de natureza pública, privada e das organizações sociais;
  • Apresenta-se de forma plural, diversificada e multifuncional;
  • Congrega um importante segmento social e produtivo;
  • Desempenha um processo produtivo que oportuniza a integração social;
  • Promotora de um importante processo de coesão social;
  • Potencializa o desenvolvimento sustentável;
  • Reduz os desequilíbrios sociais impostos pela economia capitalista;
  • Favorece o estabelecimento de uma nova economia tendo como víeis os valores humanos, sociais e ambientais;
  • Estabelece forte processo de planejamento, acompanhamento, controle e avaliação em todas as suas fases;
  • Valoriza o esforço e o comprometimento individual e coletivo na execução de suas ações.


[1] Engenheiro agrônomo
CREA – ES 2146 D / 11ª Região
Graduação em Agronomia – UFES, Alegre – ES, Brasil
ÁREAS DE ATUAÇÃO
1-         Organização Social e Redes Solidárias
2-         Microfinanças sociais
3-         Análise de Cadeias Produtivas
4-         Custo de Produção dos Arranjos Produtivos Locais
5-         Projetos Captação de Recursos – Agropecuária
6-         Projetos de Recuperação Ambiental

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s