AGRICULTURA FAMILIAR E A SUSTENTABILIDADE ECONOMICA

AGRICULTURA FAMILIAR

A CONQUISTA DA SUSTENTABILIDADE SOCIAL ECONOMICA E POLÍTICA

Adolfo Brás Sunderhus[1]

INTRODUÇÃO

Estamos vivendo um modelo político que é um novo processo de articulação entre Estado e sociedade buscando conquistar de forma efetiva e permanente a sustentabilidade das políticas públicas enquanto políticas de Estado e não de governo. Para isto e necessário entendermos os conceitos de política pública que de forma simples pode ser retratada como um “conjunto de intenções onde o “Estado” aloca recursos através de discussões participativas e socializadas”.

E necessário estarmos atentos a uma realidade que bate a nossa porta, todo dia, a toda hora. Vivemos em meio a uma crise social, cultural, econômica, política e ambiental, ou seja, uma crise de valores, de identidade. Assim constantemente ouvimos expressões do tipo: “A vida esta horrível”; “Nada tem solução”; “Tudo esta ruim”. Diante desta realidade fica a pergunta: qual será a nossa postura? Será uma postura de aceitação e confirmação destas expressões como verdade ou será a postura de tomarmos uma atitude que não pode estar comprometida com a acomodação? Devemos estar comprometidos com pequenas mudanças ou com grandes mudanças? E necessário mudarmos o canal, o foco.

A CONQUISTA DA SUSTENTABILIDADE

Para conquistarmos sustentabilidade com longevidade o foco deve partir de discussões que permitam grandes mudanças e quebra de paradigmas, tendo como ponto central desta discussão a transparência e a gestão das políticas públicas que devem ser construídas junto com aqueles que serão os seus beneficiários diretos no caso de nosso foco os agricultores familiares, trabalhadores rurais, mulheres e jovens rurais, para que estes se sintam protagonistas e atores ativos e não passivos neste processo de transformação, mudança e construção social, cultural, econômica, política e ambiental. Esta tomada de decisão e a grande diferença da visão produtivista pura baseada no capital econômico, para a qual não existe natureza, pois e impositiva, pressupondo a superioridade humana sobre a natureza.

Nesta mudança de paradigma temos que ter a certeza de que muito do que é produzido e gerado não chega e não atende as necessidades dos agricultores familiares e de suas formas de organização social. Outro ponto importante que devemos ter para esta construção esta na ética universal do ser humano envolvendo o equilíbrio da razão e da emoção tendo como balizadores alguns procedimentos metodológicos como abaixo:

1-      Problematização focada na realidade local e no respeito aos princípios;

2-      Compreender o Ser Humano como um sujeito inacabado e em construção continuada de saberes;

3-      Trabalhar processos e ações de comprometimento social e solidário;

4-      Focar a visão na busca do futuro.

A adoção destes procedimentos metodológico e fundamental, pois hoje existe uma lógica centrada, quase uma neurose comportamental pela busca de projetos tendo como base e princípio os recursos financeiros. Todo projeto necessita de aporte recursos financeiros. No entanto precisamos mudar o foco e centrar nossos esforços e ações para, além disto. Temos que construir um projeto que permita ao agricultor familiar conquistar os seus direitos e necessidades enquanto cidadão, através da construção de uma matriz tecnológica ética, transparente e comprometida com a realidade da unidade de produção familiar, com as relações sociais, de produção, de comercialização e representatividade da agricultura familiar, para que possamos ter como resultado a sustentabilidade no mundo rural.

O GRANDE DESÁFIO: VENCER O INDIVIDUALISMO

Vivendo em um meio individualista e que pressupõe a competição acima dos valores sociais e dos comprometimentos coletivos o nosso grande desafio e o de como construirmos ou como podemos contribuir para vencermos esta realidade. Esta mudança deve obrigatoriamente ter ações educativas e de caráter participativo que contemplem a liberdade e a dignidade do ser humano, promovendo a discussão de sua relação com a natureza e do ser humano com o ser humano. Esta proposta nos encaminha para uma análise critica da atual matriz tecnológica e das políticas públicas para agricultura familiar permitindo uma forte discussão e análise da relação terra e meio ambiente com a necessidade de produção e respeito ao agricultor e ao seu saber enquanto ser humano e protagonista deste processo de desenvolvimento.

Temos assim a oportunidade de construirmos um novo paradigma. O de dividir com o agricultor familiar a construção de conhecimentos e experiências objetivando a mudança comportamental, social e organizacional no meio rural. Desta forma destacamos a importância da motivação e formação do agricultor familiar quanto ao seu valor enquanto cidadão, do seu sentido de pertencimento e de sua identidade com o meio rural. Com esta prática estabelecemos um novo sistema de idéias e técnicas considerando o conhecimento e o saber dos agricultores permitindo uma nova relação envolvendo Estado e sociedade, sendo o conhecimento um produto de discussões humanas socializadas e socialmente construídas.

CONCLUSÃO

Os ambientes estão mudando e isto acarretará mudanças de natureza comportamental e de relações políticas e comerciais para agricultura familiar. Neste víeis e necessário que se estabeleça formas de interferência que permitam a integração e a soma de esforços de natureza pública e da sociedade no sentido de uma visão mais sociológica e comportamental permitindo a construção de políticas públicas comprometidas com a construção coletiva de novos paradigmas que são fundamentais para o enfrentamento destas mudanças com eficiência e qualidade oportunizando um novo patrimônio social econômico e comportamental escrevendo uma nova história dos agricultores familiares.


[1] Engenheiro agrônomo
CREA – ES 2146 D / 11ª Região
Graduação em Agronomia – UFES, Alegre – ES, Brasil
ÁREAS DE ATUAÇÃO
1-        Organização Social e Redes Solidárias
2-        Microfinanças sociais
3-        Análise de Cadeias Produtivas
4-        Custo de Produção dos Arranjos Produtivos Locais
5-        Projetos Captação de Recursos – Agropecuária
6-        Projetos de Recuperação Ambiental

Um comentário sobre “AGRICULTURA FAMILIAR E A SUSTENTABILIDADE ECONOMICA

  1. olha dos textos que li relacionados a agricultura familiar, este sem duvida foi oque abordou de forma mais clara a situação, pois fala de um fator que muitos ignoram a “motivação”. parabens, eu sou pecuarista e sei o que é matar um leao por dia para continuar produzindo enquanto que um bando de psicopatas ditam as regras. se nada for feito com relação a motivação e a sustentabilidade financeira no campo coremos o risco de ver a pequena propriedade rural indo pro saco.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s